15 Dicas de como economizar, planejar e gastar bem o seu dinheiro

Reformar a casa é um sonho para muitas pessoas, mas possuir o orçamento disponível já não é tão fácil assim, se identifica?

Neste post vamos te dar algumas dicas práticas para te ajudar a gastar menos e conseguir fazer tudo o que deseja sem que isso vire um pesadelo na sua conta bancária. Quer saber mais? Então confira!

 

  1. Tenha controle financeiro
  2. O primeiro passo importante é ter um controle financeiro, pois assim você já prevê futuros gastos, consegue saber a longo prazo quanto dinheiro sobra para a reforma, consegue cortar gastos supérfluos e o mais importante, consegue guardar dinheiro.

    Elaboramos uma Planilha de Controle Financeiro que vai te ajudar a organizar suas finanças. Informe seu nome e e-mail e baixe a sua gratuitamente agora mesmo.


  3. Faça um planejamento financeiro
  4. Com seu controle financeiro em dia, avalie suas reais condições financeiras e a capacidade de poupança mensal. Feito isso, estipule um valor máximo que você pode gastar e determine a época que quer começar a reforma, o ideal é poupar por pelo menos 1 ano antes do início da reforma.

    Explore e aprenda mais sobre o mercado financeiro para saber qual o melhor local para deixar seu dinheiro guardado e rendendo enquanto espera o início da reforma! Além da conta poupança existem algumas alternativas mais rentáveis. Estude os prós e contras e escolha a melhor opção para você.

    Começar uma reforma sem esse planejamento é um erro e tanto, pois por mais que você planeje bem, evitando que o orçamento não estoure, ainda deve contar com um fundo de reserva, especialmente para cobrir gastos fora do planejado como um cano estourado ou alguma fiação que precise ser trocada.

     

  5. E também um planejamento da reforma
  6. Outro passo importantíssimo é o planejamento da reforma que conta com a previsão de custos e definições de gastos. A falta de planejamento é o que leva muita gente a gastar mais tempo e dinheiro do que o previsto com a obra.

    Trace um plano de reforma envolvendo tudo o que você gostaria de mudar ou renovar na sua casa sem se distanciar do valor máximo que você pode gastar. Ele consiste, basicamente, nos seguintes passos:

          • Reflita com calma o que será feito, pesquise referências e tenha objetivos claros, saiba exatamente o que você quer mudar. Coloque no papel que cômodos serão reformados, o que será feito em cada espaço, se a reforma terá fins estéticos ou estruturais, se o piso será quente ou frio e assim por diante;
          • Conheça bem a planta do local, o que pode ou não ser feito. Verifique a possibilidade de retirar paredes sem danificar a estrutura;
          • Divida o projeto, e futuramente o orçamento, em etapas/cômodos;
          • Faça um cronograma do projeto, por exemplo: primeiro o quarto um, depois o quarto dois e por fim o banheiro. Isso ajuda na preparação do orçamento do material e da mão de obra.

     

    Essa é uma das etapas mais importantes em uma reforma, por isso, explicamos o passo a passo detalhadamente em nosso post Como planejar uma reforma passo a passo.

     

  7. Busque orientação profissional
  8. Arquitetos e engenheiros farão toda a diferença para lhe orientar na reforma e, em determinados casos, essa orientação profissional e obrigatória por lei (toda reforma que modifica estruturalmente o imóvel tem que ser registrado na prefeitura de sua cidade).

    Reformas menores como troca de piso, pinturas de paredes, colocação de pastilhas, etc., podem ser feitas sem essa orientação, mas, mesmo assim, o auxílio do profissional é bem-vindo.

    De modo geral, esses profissionais cobram entre 5% e 10% do valor total da reforma, o que pode parecer um investimento a mais, mas na verdade pode representar uma grande economia. Esses profissionais são capazes de antecipar transtornos e evitar erros e atraso, sabem onde estão os melhores preços, podem conseguir produtos com descontos e o mais importante, indicam as melhores alternativas para chegar ao resultado que você espera sem estourar o orçamento.

    Lembrando que além de elaborar o projeto, os arquitetos e engenheiros ajudam a aprimorar o planejamento, auxiliam na definição de custos, orientam sobre as melhores escolhas, evitam alterações que venham a desvalorizar o imóvel e pensam em mudanças que não comprometam tanto a planta original.

     

  9. Monte a lista de compras
  10. Tenha todas as informações e medidas do projeto para calcular quantidades e escolher os modelos. Por exemplo, precisa comprar uma cuba para o seu banheiro? Tenha consigo o projeto com as medidas da bancada. Vai revestir o banheiro? Tenha as medidas das paredes, janelas, espelhos, etc. Para te ajudar a calcular a área a revestir, acesse nosso post Como calcular a área a revestir.

    Com todas as informações necessárias, você pode calcular e listar as especificações e quantidades de material que precisará comprar. Não se esqueça de colocar uma margem de segurança em materiais como argamassas e revestimentos, pois toda obra acaba precisando de mais material por conta de quebras e perdas.

     

  11. Dedique-se ao orçamento
  12. Especifique todos os itens, desde o valor da mão de obra até o modelo, cor e quantidade. Só com tudo definido é possível fazer um levantamento do custo real e depois pesar ou substituir alguns itens que, por ventura, ficaram fora do valor pretendido.

    Pesquise valores e a qualidade do material em lojas físicas e pela internet e coloque tudo em uma planilha. Um erro muito comum que pode custar muito caro é substituir materiais por aqueles similares mais baratos.

    Para escolher um piso, por exemplo, é necessário avaliar itens como: Índice de Resistência à Abrasão (PEI), Índice de Resistência Mecânica (Absorção de água), Índice de Resistência às Manchas, Índice de Resistência ao Risco (Índice de Mohs), Índice de Resistencia ao Escorregamento e o Índice de Resistência ao Ataque Químico.

    É importante nunca querer economizar demais, principalmente com encanamentos, estrutura elétrica, fundações, etc., porque é nesses casos que o barato sai caro. Saiba quais são as especificações necessárias do produto para que ele atenda sua necessidade. Caso tenha contratado um arquiteto ou engenheiro, provavelmente ele já vai te passar essas informações com o projeto.

    Pesquise a qualidade da marca, converse com especialistas e opte por materiais que ofereçam preços bons e durabilidade.

    Orçar a obra dá trabalho, mas traz muitas economias e, para te ajudar a organizar todas essas informações, baixe grátis a planilha de orçamento que preparamos para você. Essa planilha é importante para que você consiga ter uma ordem de grandeza do gasto e saber o que será possível executar. Além disso, pode ajudar a filtrar alguns itens, substituir algumas especificações ou negociar valores para atingir uma meta de gastos.


  13. Invista em acabamentos que trazem economia
  14. Alguns materiais de acabamento podem custar um pouco mais caro, mas farão você economizar dinheiro a médio prazo nas contas de energia e água. As lâmpadas LED, embora mais caras, consomem muito menos energia e possuem uma vida útil muito maior se comparadas às lâmpadas convencionais incandescentes ou fluorescentes.

    Os chuveiros e metais sanitários com arejador na ponta são outros investimentos que valem a pena. O arejador introduz bolhas de ar no jato d’água, o que evita respingos e desperdícios e tem a função de misturá-la, diminuindo o fluxo, mas mantendo a sensação de volume. A economia pode chegar a 50%, dependendo da pressão.

    + Leia também: As lâmpadas de LED podem economizar até 90%
     

  15. Não compre por impulso
  16. Não compre nada antes de estabelecer exatamente o planejamento da reforma. Defina a lista de compras primeiro para não gastar desnecessariamente. Outro ponto importante é comprar por etapas, não adianta comprar agora um material que vai usar apenas no final da reforma. Isso pode acabar te deixando sem a verba necessária para a compra um material urgente e consequentemente atrasar a obra.

     

  17. Contrate mão de obra especializada
  18. Pesquise mão de obra especializada para cada etapa do projeto. Não se iluda com o “faz-tudo” ou com preços muito baixos, opte por profissionais que tenham conhecimento no assunto e de preferência, conheça o trabalho dele, peça indicações de clientes anteriores.

    Evite ter que lidar com retrabalhos e desperdícios. Um profissional especializado consegue antecipar transtornos e evitar erros e atrasos. Do contrário, você pode ter muitas dores de cabeça para consertar os erros dessa reforma.

    Por exemplo, para colocar um piso de porcelanato, o custo de mão de obra é pelo menos 20% superior ao da instalação de um piso cerâmico porque no primeiro caso o profissional precisa ter uma habilidade muito maior e usa ferramentas específicas para o corte do material.

    Outro detalhe importante é que antes de contratar qualquer serviço, o fornecedor deve ir previamente até o local da obra para orçar com mais precisão o serviço que será executado, diminuindo as chances de surgirem novas demandas durante a realização da reforma.

     

  19. Pagar à vista é sempre a melhor escolha – apenas para produtos
  20. Evite parcelar. Além de conseguir bons descontos, em alguns lugares, com o pagamento a vista, pagar a reforma da casa com cartão de crédito é uma das decisões mais arriscadas que você pode fazer. Pode virar uma bola de neve em pouco tempo, caso você atrase um pagamento ou não tenha mais a mesma renda que tem hoje.

     

  21. Pagando a mão de obra
  22. Para evitar surpresas desagradáveis, não é recomendado fazer o pagamento da mão de obra à vista, deve-se combinar o acerto de acordo com o andamento da obra. Além disso, dê preferência para acertar o pagamento por empreitada, não por dia de trabalho.

     

  23. Descarte de materiais
  24. Esse é outro fato que precisa ser pensando com antecedência. Toda obra, por menor que seja, vai gerar resíduo e lixos que devem ser descartados corretamente em lugares apropriados. Alugar uma caçamba é algo obrigatório e o descarte inadequado dos resíduos pode gerar multas ao imóvel de onde eles foram removidos.

     

  25. Os tão temidos atrasos na obra
  26. Caso você contrate uma empresa especializada em reformas, ela tem que planejar o tempo certo e, caso isso não aconteça, ela é obrigada a ressarcir com os prejuízos e com os danos. Tudo deve estar em contrato, assim como os pagamentos. Com isso, quem não cumprir sua parte no acordo, terá que responder pelos atos.

    Se sua obra for menor e ela atrasar um pouco mais, vale ser tolerante e analisar se com a pressa o serviço não ficará mal feito. Acabamentos, partes hidráulicas e elétricas merecem atenção especial. Se seu imóvel for antigo, uma dica é analisar se os fios e tubulações não precisam ser trocados para suportar os equipamentos mais modernos.

    Obra faz bagunça e sujeira sim! Se os funcionários ficarem mais preocupados com a sujeira do que com o serviço, o trabalho vai atrasar então, quando for contratar um funcionário, faça um contrato com a exigência da limpeza ao final do dia ou da semana, como preferir.

     

  27. Simplifique na reforma, busque alternativas
  28. Considere restaurar alguns móveis, em vez de descartá-los. Para isso busque passo a passo, tutoriais ou inspirações na internet. Além disso você pode tentar vender alguns antigos para conseguir uma renda extra.

    Além dos móveis, avalie se é possível aproveitar, por exemplo, as louças sanitárias. Se estão em bom estado, não há necessidade de troca.

    Para trocar os revestimentos, existem opções no mercado que podem ser sobrepostas ao antigo, alguns exemplos são:

          • Pisos vinílicos click;
          • Papéis de parede;
          • Pastilhas (com o uso de argamassas ou colas de sobreposição);
          • Pastilhas adesivas (não utilizam argamassa e em alguns casos o uso do rejunte é opcional) e
          • Tintas.

    Se o azulejo é feio, não precisa fazer todo o quebra-quebra e sujeira para a troca, você pode aplicar pastilha por cima ou pintar. Assim, a obra acabará mais rápido, pois são menos horas de serviço, fará menos barulho e usará menos material.

    + Leia também: Saiba tudo sobre Piso Vinílico
    + Leia também: Passo a passo para aplicar papel de parede e outras dicas!
    + Leia também: Como aplicar pastilhas de vidro com cola

     

  29. Do It Yourself
  30. Se a reforma da casa for mais simples e não exigir demolição de parede nem outros serviços complexos, por que não se aventurar e fazer você mesmo algumas mudanças? Atualmente é possível encontrar diversos vídeos tutoriais e posts com passo a passo que podem te ajudar. Como por exemplo, trocar a torneira, pintar paredes, instalar papel de parede, instalar pastilhas adesivas, trocar o chuveiro, etc. São trabalhos que exigem tempo, mas que você mesmo pode fazer.

    Em nosso canal do Youtube você encontra diversos vídeos tutoriais de instalação dos produtos comercializados em nossa loja virtual www.casinhabonita.com.br, confira alguns:



 

Reformar uma casa ou apartamento exige muita paciência, pesquisa e planejamento, mas com uma visão ampla dos gastos necessários, é possível se organizar financeiramente para dar viabilidade ao projeto e conseguir concluir a obra com tranquilidade.

Além disso, caso exista uma grande diferença entre o que você queria fazer e os preços e orçamento disponível, existem duas opções: adequar seu projeto e torná-lo mais simples ou se esforçar um pouco mais e esperar mais tempo até conseguir atingir o valor necessário.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *